A importância de ter uma Loja Virtual responsiva

A importância de ter uma Loja Virtual responsiva

Você possui smartphone ou tablet? Com qual frequência você costuma utilizá-los para acessar a internet? Tenho certeza de que as respostas acima são “sim” e “todos os dias”, respectivamente. Seus amigos e familiares também darão a mesma resposta, assim como potenciais consumidores nas ruas, em praças, dentro dos ônibus e até mesmo no trabalho.

Atualmente, o acesso mobile tem sido o grande impulsionador do comércio eletrônico, já que o acesso ao produto ou loja virtual é quase que imediato, bastando deslizar pelas telas do smartphone ou tablet e ficar a um clique para realizar a compra.

Hoje o acesso por mobile já ultrapassa o acesso por desktops, tornando os dispositivos móveis poderosas ferramentas para ajudar as pessoas a resolverem seus problemas e dúvidas quase que imediatamente.

Vantagens para o seu ecommerce

Quais as principais vantagens para a sua loja virtual? Digamos que você trabalha com móveis para quartos de crianças e um cliente pesquisa no Google um termo semelhante e encontra sua loja, porém quando ele acessa por algum dispositivo mobile, verifica que a loja está toda desconfigurada e de difícil acesso na navegação. Qual será a reação desse cliente em potencial? Ele não ficará nem um minuto em sua loja e procurará o concorrente que esteja com uma loja virtual adaptada para os dispositivos móveis.

Isso se deve ao fato de que ela não é responsiva, ou seja, não se adapta às resoluções dos dispositivos móveis. Por isso é de extrema importância visualizar sua loja virtual em todos os dispositivos e saber realmente se ela é responsiva ou não. Você já chegou a fazer esse teste em sua própria loja virtual? Não? Cuidado! Você pode estar perdendo muitas vendas!

Uma das grandes vantagens do mobile é exatamente essa facilidade de acesso em qualquer lugar, além de pesquisas e compras espontâneas e orgânicas que você pode estar perdendo por não ter uma loja responsiva. Além de ter uma bela loja sendo visualizada no desktop, é necessário fazer uma análise bem detalhada de todas as páginas e passos no ambiente mobile de sua loja.

Conhecendo o cliente do meu E-commerce

Pense como o seu cliente pensaria. O que ele gostaria de ver primeiro na loja, quais informações são realmente relevantes e devem aparecer para ele no celular? O cadastro e confirmação de compra estão funcionando corretamente? Todos os campos de preenchimento estão alinhados e perfeitamente configurados? A loja mobile está com uma boa velocidade e preparada para uma grande demanda de transações?

Outro ponto importante é o posicionamento no Google. Em suas mais recentes atualizações, ele prioriza os sites que possuem versões mobiles ou responsivas e rebaixa os sites que ainda estão com  o layout preparado apenas para desktops. Ou seja, para aparecer nas primeiras posições nos mecanismos de busca para as suas palavras-chave, é necessário ter uma loja responsiva bem estruturada e completa.

Quando decidir criar sua loja virtual, ou atualizar a plataforma de seu ecommerce tenha em mente essa questão como prioridade, pois o acesso mobile cresce absurdamente todos os dias e chegará o dia em que ele será absoluto. Para ser mais exato, 23,7% das vendas das lojas virtuais foram feitas através de smartphones e tablets no mercado brasileiro de ecommerce, de acordo com números de 2017, o que representa um crescimento de 35,9% em relação ao ano de 2016, ou seja, para 2018 a expectativa do crescimento é ainda maior.

Um dos segmentos que mais vende dentro do mercado brasileiro de ecommerce, é a categoria “Saúde e Beleza”, que está na primeira posição do Ranking com 25% de participação nas transações, seguida por produtos da categoria “Casa” e categoria “Moda”.

Em um futuro bem próximo, caso sua loja virtual não esteja preparada para esse tipo de acesso, provavelmente ela estará fadada ao fracasso, pois nesse momento há uma grande revolução no mercado digital,  em que os usuários são cada vez mais exigentes e extremamente criteriosos quanto à qualidade e velocidade da loja virtual , portanto a responsividade é um dos fatores primordiais para a realização das compra e fidelização do cliente em sua loja, seja no layout, mas principalmente na navegação e experiência do usuário.

Na Noxvox, oferecemos uma plataforma de ecommerce responsiva e baseada nos maiores players do mercado de e-commerce brasileiro, além de ter uma visão específica para dispositivos móveis, sendo smartphone ou tablet . Consulte um de nossos consultores e conheça todos os recursos e ferramentas de nossa plataforma.

Nosso objetivo é fazer sua loja vender muito mais e ter sucesso no mercado de Ecommerce!

Será que você precisa mesmo se preparar para o novo Marketing?

Será que você precisa mesmo se preparar para o novo Marketing?

Sua empresa já pratica o Inbound, tem um site, blog e presença ativa nas redes sociais, por isso está inserida na transformação digital? Sinto dizer que este é só o pretinho básico. Basta dar uma olhada nas tendências e o que vem do outro lado do mundo, da Ásia, onde o avanço tecnológico é o cotidiano das pessoas e das marcas.

Esse olhar também se justifica pelo tamanho do mercado: segundo dados de 2018 da OCDE, até 2030, dois terços de todo o poder de compra da classe média estarão concentrados na Ásia. As tendências que vêm de lá apontam novas formas de envolver e conquistar consumidores, oferecendo experiências ainda mais inovadoras. De novo a tecnologia é o suporte para essas iniciativas.

report do TrendWhatching “The Future of Experiences in Ásia” alerta que em 2019 e mais à frente o passeio só ficará mais selvagem. Vejamos os drivers que impulsionam as tendências de Customer Experience: a mudança contínua dos consumidores em relação à preferência de produtos, a penetração irrefreável das mídias sociais, o amadurecimento de tecnologias como AR e VR, permitindo experiências mais imersivas e outras que ainda sequer imaginamos. Aqui estão duas tendências poderosas que moldam o futuro das experiências na Ásia. Todas conectadas pelo avanço da tecnologia:

1. Sentient Spacesmúltiplos fatores se unem para favorecer experiências em ambientes que conhecem as pessoas e se adaptam a elas: enormes quantidades de dados de consumidores, o amadurecimento da inteligência artificial e objetos físicos inteligentes, uso disseminado de sensores e reconhecimento facial e a crescente demanda dos consumidores por relevância e personalização. O resultado? Os consumidores agora podem esperar espaços físicos que os reconheçam e se adaptem para proporcionar experiências pessoais que correspondam às suas necessidades.

As cidades na nuvem e o crescimento do acesso ao digital ampliam significativamente as oportunidades para a otimização de soluções baseadas em dados. Em 2018 a revolução física do varejo foi o comércio colaborativo com o C-Commerce, provocando novas expectativas para que as marcas combinem dados de clientes on-line e tecnologias nas lojas para oferecer experiências de compras personalizadas e perfeitas.

2. Connoisseur Clubexperiências que ajudam os consumidores a aprender mais sobre o que consomem. Os consumidores querem conhecer a história por trás de seu consumo, obter experiências e ter a capacidade de formar opiniões. As experiências que ajudam os consumidores a alcançar esse status serão valorizadas e a cultura de curadores e criadores só cresce. Os consumidores estão expostos a conteúdos intermináveis que explicam a jornada do café até a xícara, as receitas caseiras de cuidados com a pele, como personalizar seus Nikes e as marcas investem em experiências que se conectam com essas expectativas.

Nem pense que essas tendências só se aplicam aos mercados tecnologicamente mais avançados. Porque logo as tecnologias e os competidores chegam aqui, carregando junto novos hábitos e expectativas dos clientes.

O fenômeno Martech

The Martech Report 2019 traz os insights e as descobertas mais importantes sobre o fenômeno Martech, uma estratégia que coloca a empresa e o cliente em foco e não a tecnologia em si. Com esse foco os profissionais passam a usar as ferramentas para encontrar insights do cliente e otimizar seu marketing e não apenas para automatizar processos. A base de tudo é a tecnologia, mas o objetivo final é sempre usar os recursos que ela traz para estabelecer relacionamentos duradouros com seus clientes. Um passo além da simples incorporação de tecnologias.

O desenvolvimento da Martech foi rápido e deve acelerar ainda mais. Entre 80% a 90% dos entrevistados responderam:

  • Que a tecnologia de marketing mudou a forma como eles interagem com os clientes;
  • Que planejam investir ainda mais na área;
  • Que eles acreditam que a Martech é a chave para alcançar seus objetivos nas vendas, lucros e marketing.

O fenômeno Martech

The Martech Report 2019 traz os insights e as descobertas mais importantes sobre o fenômeno Martech, uma estratégia que coloca a empresa e o cliente em foco e não a tecnologia em si. Com esse foco os profissionais passam a usar as ferramentas para encontrar insights do cliente e otimizar seu marketing e não apenas para automatizar processos. A base de tudo é a tecnologia, mas o objetivo final é sempre usar os recursos que ela traz para estabelecer relacionamentos duradouros com seus clientes. Um passo além da simples incorporação de tecnologias.

O desenvolvimento da Martech foi rápido e deve acelerar ainda mais. Entre 80% a 90% dos entrevistados responderam:

  • Que a tecnologia de marketing mudou a forma como eles interagem com os clientes;
  • Que planejam investir ainda mais na área;
  • Que eles acreditam que a Martech é a chave para alcançar seus objetivos nas vendas, lucros e marketing.Alguns insights desse relatório podem orientar seus passos nesse caminho sem volta da transformação digital:Organização, competência e dados são a base para trabalhar com a Martech. Você precisa da competência certa para a tecnologia e, em seguida, dos dados para trabalhar e analisar. Quando dominar o básico você pode começar a integrar diferentes sistemas e encontrar novas soluções.Integre as equipes porque você precisará de várias competências para obter todo o potencial do Martech. Quando você reúne os profissionais de tecnologia, marketing, vendas, analistas e designers, eles podem encontrar mais insights e desenvolver os negócios de várias maneiras, ao mesmo tempo. Comece com pequenas equipes multidisciplinares e estabeleça prazos, metas e estratégias claras.O GDPR fez as empresas se tornarem mais estruturadas e forçou-as a encontrar e definir áreas de uso para seus dados. Nos últimos dois anos a quantidade e variação de dados aumentou e com maiores investimentos na Martech eles podem ser usados de forma eficiente e relevante para fornecer insights cruciais sobre o cliente, o que possibilita novos avanços.Coloque o cliente em foco e trabalhe com eles durante a criação do User Experience (UX). Conheça seu cliente coletando e estruturando os dados que você tem sobre eles, defina pontos de medição, analise e continue envolvido no comportamento dos seus clientes.

    “ A IoT é a ferramenta mais forte que temos para trazer coerência às nossas estratégias omni-channel CX (Customer Experience). Por um lado, ele tem o poder de nos mostrar o que os clientes realmente querem, quando e como querem. Em segundo lugar, ele tem um tremendo potencial para envolver os clientes 24 horas por dia, 7 dias por semana – onde trabalham, vivem, comem e se mudam. Nunca houve um momento mais empolgante para trabalhar na criação de um CX potente e consistente.” Improving the Customer Journey with IoT, Convergetechmedia

    Não vai parar!

    Basta olhar a tela do seu celular, acessar um e-commerce, ou fazer uma busca no Google para perceber que esse movimento não vai parar. Com alguns toques você pode chamar um Uber, pedir um lanche no Ifoods e receber com um drone, pagar com seu cartão Nubank ou obter uma reserva no AirBnB. Ontem mesmo nada disso existia e este é só o começo.

    Startups escalam da noite para o dia e grandes corporações se movimentam para acompanhar as mudanças profundas que chegam com a transformação digital. A tecnologia permeia tudo, do chão da fábrica ao modelo de negócios. Nesse contexto, Marketing e Vendas ganham uma importância ainda maior, por representarem a conexão entre marcas e consumidores.

    As possibilidades de desenvolver estratégias mais robustas e criativas se ampliaram significativamente com os avanços da tecnologia e os resultados já se confirmaram expressivos para quem saiu na frente. Lembre que um programa de vendas e marketing bem sucedido sempre dependerá de uma estratégia eficaz, com objetivos claros, realistas e mensuráveis Combine pessoas, estratégias e tecnologias e ofereça os recursos e treinamento contínuo para que todos possam usufruir dos surpreendentes benefícios da transformação digital.

Como fazer a gestão das redes sociais de sua empresa

Como fazer a gestão das redes sociais de sua empresa

Estar presente nas redes sociais já não é mais um diferencial para nenhuma empresa. Atualmente, quem se destaca nas mídias sociais são empresas que enxergam o valor dessa ferramenta e a utilizam como canal de comunicação com os seus clientes e como canal de promoção, tanto da marca como dos produtos/serviços e conteúdos.

Por consequência, cada vez mais empresas estão criando seus perfis nas redes sociais para se aproximar do seu cliente e não perder para a concorrência. Porém, muitas acabam iniciando sem nenhuma estratégia definida e sem saber muito bem como fazer um gerenciamento de redes sociais.

Já passamos por esse desafio na RD e, ainda hoje, recorrentemente nos questionamos se a nossa estratégia nas mídias sociais está sendo a mais efetiva, se a nossa comunicação com o nosso cliente é a mais adequada ou se deveríamos tentar outra abordagem.

Sabemos que não é fácil para uma empresa que está iniciando nas mídias sociais definir que tipo de conteúdo será publicado, se terá uma abordagem mais leve ou mais séria, com qual frequência deve postar nas redes sociais, quais métricas analisar etc.

Por isso, vou mostrar ao longo desse texto alguns processos que aprendi no meu período de analista de mídias sociais aqui na RD, incluindo dicas práticas que podem ser úteis para você aplicar diariamente no gerenciamento de redes sociais.

O que é gerenciamento de redes sociais

Gerenciar as redes sociais é muito mais que simplesmente fazer publicações. Uma gestão de mídias sociais envolve diversas etapas, que incluem desde a definição da estratégia e do posicionamento, o planejamento de publicações e a execução até o monitoramento e o levantamento dos resultados.

Para que tudo isso seja bem feito, é necessário ter uma pessoa responsável exclusivamente por esse canal, pois assim ele será visto como um processo importante e necessário para a empresa e não somente como uma obrigação que não traz benefícios reais.

Aqui na RD, esse trabalho é feito por um analista, que se dedica em tempo integral para trazer mais resultados para a área de marketing através das redes sociais.

Em quais redes sociais devo estar presente?

Se você já comprou a ideia de investir efetivamente nas mídias sociais, você deve estar se perguntando o que exatamente deve começar a fazer.

O primeiro passo é definir em quais redes sociais faz sentido o seu negócio estar presente. Algumas redes sociais, como o Facebook, por sua abrangência de públicos, exige que boa parte das empresas, independentemente do tipo de negócio, esteja presente. Já outras, como o Instagram, pode ser que tragam muito mais resultados para um ecommerce de roupas do que para uma empresa de serviços corporativos.

No fim, o que vale é descobrir onde o seu público está. E muitas vezes a única forma de descobrir isso é testando. Você não vai sair perdendo se criar um perfil em uma rede social e descobrir que a sua persona não está lá. Além do aprendizado, as chances de você encontrar o seu cliente lá e conseguir trazer alguns bons resultados para sua empresa são muito maiores.

Aqui na RD, estamos sempre procurando novos canais para testar e ampliar a nossa estratégia. Mas, no fim, descobrimos que as redes sociais em que já investimos há um bom tempo são as que nos trazem mais resultados e valem mais o nosso investimento – como o Facebook, nesse caso.

Como montar a minha estratégia nas mídias sociais?

Aqui está o pulo do gato: sem uma estratégia bem definida, a sua empresa terá um perfil nas redes sociais mas não saberá o que fazer com ele. É aqui que muitas empresas erram, acabam não enxergando o real benefício desse investimento e desanimam.

É muito importante definir qual o objetivo de estar presente nas mídias sociais. Aqui na RD, por exemplo, as mídias sociais estão entre os mais importantes canais de geração de Leads, que é o que guia a nossa estratégia, mas também as enxergamos como um grande diferencial para a marca da RD.

É lá que os nossos seguidores e clientes se sentem à vontade para compartilhar um conteúdo nosso, para comentar e dar feedbacks sobre conteúdos e serviços que oferecemos ou simplesmente para terem um canal de comunicação aberto com a gente.

Porém, existem diversos objetivos que podem estar atrelados à sua estratégia. Por exemplo:

  • divulgação da marca;
  • ser um canal de comunicação com os clientes;
  • criar uma comunidade fã da sua empresa;
  • educação através da divulgação de conteúdo;
  • vendas.

O essencial é que apenas um objetivo seja o carro chefe da sua estratégia – para ter foco – e que o objetivo esteja atrelado com o momento da sua empresa.

E o mais importante: essa estratégia pode – e deve – variar conforme o tempo. Se você constatar que sua empresa chegou ao seu objetivo e que a divulgação da marca não é mais tão importante, o próximo passo pode ser começar a focar em vendas.

Abaixo, confira uma entrevista que fizemos com Cristiano Santos, especialista em estratégias para LinkedIn, durante o RD Summit Live Show.

O que devo publicar nas redes sociais?

Esse tópico depende essencialmente do anterior. Para definir o que será publicado, é muito importante saber qual o seu objetivo. Eu comentei, por exemplo, que o principal objetivo da estratégia de mídias sociais aqui na RD é a geração de Leads, já que dependemos disso para munir a nossa equipe de vendas.

Tendo isso em vista, a maior parte das nossas publicações são algum tipo de conteúdo, sejam eles posts do blog ou materiais ricos como eBooks, webinars, vídeos etc. Esse tipo de publicação é o nosso leme e investimos muito em produção de conteúdo para nutrir cada vez mais as nossas redes sociais.

Porém, não podemos esquecer que entrar em contato com o nosso seguidor/cliente e prospectar a nossa marca também é muito importante na nossa estratégia. Por isso, também devemos fazer outros tipos de publicações que não estejam diretamente relacionadas aos nossos conteúdos. Por exemplo:

Com qual frequência devo publicar nas redes sociais?

Saliento que é muito importante manter um calendário de publicações para que isso não se perca com o tempo. Sei que no começo pode ser difícil quando ainda não há disponível um arsenal de conteúdos para publicar. Porém, conforme a sua estratégia de Marketing de Conteúdo for evoluindo, você terá muito mais insumos para as suas redes sociais.

Indo mais a fundo sobre como funciona uma rotina de publicações, vamos apresentar uma que já usamos aqui na Resultados Digitais. Em um período em que estávamos focados no crescimento e geração de Leads, nós publicávamos no mínimo um post novo do blog nas redes sociais por dia e um material rico por semana.

Além disso, cada post do blog era publicado em média mais três vezes em cada rede social e cada material rico mais quatro vezes, em horários e dias da semana diferentes.

Por exemplo, um post publicado no blog era divulgado nas redes sociais no mesmo dia às 20h e mais três vezes: uma semana depois às 9h, duas semanas depois às 13h e um mês depois às 15h. Assim, públicos que acessam as redes sociais em horários diferentes terão as mesmas chances de ver a publicação.

O mesmo acontecia com os materiais ricos, que, após lançados e publicados pela primeira vez, por exemplo, em uma terça-feira, eram publicados novamente 29 dias depois, em uma quarta-feira, e depois de mais 29 dias em uma quinta-feira, e por aí vai.

É claro que fica muito mais fácil manter esse calendário consistente produzindo conteúdos novos todos os dias. Porém, a mensagem que eu quero passar aqui é a de que você não precisa ter essa grande quantidade de conteúdo desde o início: o importante é se manter presente e fazer publicações relevantes para o seu público.

E, para isso, não importa se você vai publicar um artigo de um blog externo que você achou interessante (fazendo curadoria de conteúdo) ou um vídeo curto que você mesmo produziu com algumas dicas relacionadas ao seu negócio.

Qual o melhor horário para publicar nas redes sociais?

Essa é a pergunta de um milhão de reais. E querem saber qual é a resposta? Não existe um horário único para todos. Cada público se comporta da sua forma e você precisa descobrir em qual horário a sua persona costuma estar online para visualizar a sua publicação.

Para facilitar o gerenciamento, algumas redes sociais trazem análises de quais horários são os melhores para a sua página. O Facebook Insights, por exemplo, mostra os dias da semana e os horários em que o seus seguidores mais estiveram conectados na rede social. Veja um exemplo, também retirado de um período anterior da RD:

Assim, todos aqueles horários que eu comentei que republicamos os conteúdos não foram escolhidos aleatoriamente. É claro que elencamos os nossos melhores horários para publicar os nossos melhores conteúdos.

Por exemplo, se o horário que o nosso público mais está presente é às 18h, preferimos publicar um conteúdo rico, que tem potencial maior de geração de Leads, do que um post do blog.

Caso a ferramenta não disponibilize esse dado direto para você, é preciso realizar testes e experimentos para ver em qual horário a sua publicação performa melhor.

Devo utilizar uma ferramenta para fazer as publicações?

Esse é o tópico que eu elencaria como o luxo do seu gerenciamento de mídias sociais. Por quê? Porque uma ferramenta de agendamento de publicações não é totalmente indispensável, ou seja, você não vai deixar de fazer as publicações porque não tem uma ferramenta para automatizar isso, mas, ao mesmo tempo, ela facilitará muito esse trabalho, principalmente quando você aumentar a frequência de publicações.

A ferramenta fará o trabalho duro para você: você define em quais horários quer que os conteúdos sejam publicados e automaticamente eles estarão lá agendados, sem que você precise entrar na sua rede social no domingo à noite para fazer alguma publicação manual.

Além disso, ela está totalmente ligada com aquela questão que eu comentei de manter um calendário de publicações.

Na ferramenta de publicações do RD Station Marketing, por exemplo, você já enxerga visualmente um calendário com sugestões de horários para você publicar e de datas comemorativas.